segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

[Resenha] Contos Fantásticos do Século XIX

CALVINO, Italo (Org.). Contos fantásticos do século XIX: o fantástico visionário e o fantástico cotidiano. São Paulo: Companhia das Letras, 2004. 502p.

RESENHA
por Juliana R. Santos

Capa - Editora Companhia das Letras
   Obviamente, se pretendo falar sobre literatura fantástica, não poderia deixar de mencionar essa incrível coletânea de contos. É verdade que do século XIX até os dias atuais, o conceito do fantástico pode ter mudado um pouco, e alguns desses contos selecionados não sejam considerados tão fantásticos assim. Mesmo assim, apesar de um conto ou outro mais chato, vale a pena ler a coletânea. 

  A obra é composta de 26 contos, todos com comentários do organizador em seu início, e divididos entre o fantástico visionário e o fantástico cotidiano, sendo 12 contos pertencentes ao primeiro grupo e 14 ao segundo. A diferença entre está na época, o primeiro tipo é da primeira metade do século XIX e o segundo, da segunda metade. Geralmente, há também uma diferença entre esses dois tipos de contos que seria a natureza dos acontecimentos. No primeiro caso, o fantástico seria um elemento externo, enquanto no segundo, o fantástico estaria mais no interior dos personagens, tem mais a ver com as percepções destes de seu entorno. Esse segundo tipo possui maior número de metáforas, é necessário pensar um pouco mais no significado desses, o que, em alguns casos (mas não em todos), os torna mais interessantes. 

  A seguir farei uma brevíssima sinopse (que irei postando aos poucos) de cada um dos 26 contos dos quais o livro é composto:

  • POTOCKI, Jan. História do demoníaco Pacheco - Um capítulo isolado do livro do autor Manuscrit trouvé à Saragosse, que não pôde ser incluído na íntegra por ser um livro grande, com histórias que se interligam umas as outras, como nas mil e uma noites. Narra a história de um viajante que acordara deitado ao lado de dois enforcados. Mais adiante, conhece Pacheco, um jovem atormentado que conta sua história de como foi procurado por duas vozes femininas, e em seguida atacado pelo irmãos De Zoto, criminosos que haviam sido enforcados, estes lhe perseguem e lhe arrancam o olho. Amedrontado com a história e com o fato que lhe tinha acontecido, o homem passa a noite numa capela, onde é chamado por duas vozes femininas que o tentam para que ele saia de seu refúgio.
  • EICHENDORFF, Joseph von. Sortilégio de outono - Versão romântica de uma lenda medieval, onde um homem passa uma estação em um paraíso com sua amada, após matar seu amigo, que também queria a mesma mulher. Quando volta à realidade, percebe que muito tempo já se passou e que nada do que ele viveu foi real.
  • HOFFMAN, E. T. A. O Homem de areia - História adaptada para o ballet Copélia, narra a história de um jovem que identifica a lendária figura para assustar crianças à figura do Dr. Coppelius. Quando mais velho, se apaixona pela estranha filha do professor Spallanzani, Olimpia. Mais tarde, o jovem descobre que esta nada mais é do que uma boneca, criado por Spallanzani e Coppelius, e perde a razão. 
  • SCOTT, Walter. A História de Willie, o vagabundo - Após as circunstâncias pouco usuais da morte de seu senhor, o arrendatário tem de descer ao inferno para buscar o recibo das mãos do senhor feudal que comprova que pagou sua dívida. Mas ai ele não deve comer ou beber nada enquanto lá estiver, e nem levar a gaita aos lábios, ou sofrerá terríveis consequências. 
  • BALZAC, Honoré de. O Elixir da longa vida - Um jovem libertino recebe do pai um elixir que teria o poder de trazê-lo de volta à vida após sua morte, após confirmar a eficácia do elixir, o jovem resolve manter o elixir para si na esperança de usá-lo após a sua morte. Porém, o uso incorreto do elixir pode causar efeitos bizarros e assustadores, ele poderá confiar em seu próprio filho para lhe trazer de volta a vida depois que estiver morto? 
  • CHASLES, Philarète. O Olho sem pálpebra - Baseado nos mitos e crenças escocesas, o conto narra a história de um homem que, como punição pela morte da esposa, é atormentado pelo ciúme excessivo e doentio da nova e estranha esposa que o persegue e encontra aonde quer que ele vá com seus olhos que nunca dormem. 
  • NERVAL, Gerárd de. A Mão encantada - Desejando vencer um duelo em que se meteu, um jovem comerciante se deixa envolver na maldição de um cigano, que busca para si a mão de um condenado, que supostamente possuiria poderes místicos. 
  • HAWTHORNE, Nathaniel. O jovem Goodman Brown - O terror de um jovem puritano frente à descoberta da corrupção das almas daqueles ao ao seu redor, enquanto tenta ele mesmo, fugir às tentações.
  • GOGOL, Nikolai V. O Nariz - Esse conto cômico sobre um homem que perdeu o nariz é uma sátira da sociedade da época. 
  • GAUTIER, Théophile. A morte amorosa - Um jovem padre conhece uma bela e estranha mulher, após o que o padre passar a ter sonhos muito reais com uma vida de fidalgo junto a tal mulher, e o fidalgo tem sonhos com a vida de padre. O personagem vive assim, uma dupla-vida, sem saber qual das duas é real, até que, pressionado por seus superiores, o jovem religioso procura entende a causa de seus sonhos. 
  • MÉRIMÉE, Prosper. A Vênus de Ille - Um pesquisador vai à uma pequena vila de Roussillon examinar a misteriosa estátua da Vênus encontrada recentemente no local, coincidentemente, na mesma época está para acontecer um casamento, a convite do arqueólogo local, o pesquisador fica na vila para o casamento e acaba presenciando uma simples brincadeira do jovem noivo com a estátua e as alianças levar a um horrível desfecho a alegre festa de núpcias. 
  • FANU, Joseph Sheridan Le. O fantasma e o consertador de ossos - Um consertador de ossos é forçado a passar a noite em um castelo assombrado por um espírito que precisa consertar seus ossos. 
  • POE, Edgar Allan. O coração denunciador - Um homem atormentado resolve matar o velho dono de um olhar que o incomoda sobremaneira. Após tão cuidadosamente encobrir as provas de seu ato, o que poderia lhe denunciar?
  • ANDERSEN, Hans Christian. A Sombra - História de um homem que perde sua sombra para  a reencontrar, não mais como sombra, mas como seu igual, e, em alguns momentos, superior. 
  • DICKENS, Charles. O Sinaleiro - Um jovem sinaleiro de trem sofre de estranhas alucinações onde vê uma figura lhe acenando, essas visões sempre seguidas por algum acidente nos trilhos
  • TURGUÊNIEV, Ivan S. O Sonho - Uma narrativa onírica de um rapaz que, através de um sonho, descobre o passado de sua mãe e encontra seu verdadeiro pai. 
  • LESKOV, Nikolai S. O Espanta-diabo - Enquanto acompanha o tio, um jovem rapaz presencia estranhos e ocultos rituais. 
  • ISLE-ADAM, Auguste Villiers de. É de confundir! -  Reflexões sobre a semelhança entre uma casa funerária e os pontos de reunião dos homens de negócio.
  • MAUPASSANT, Guy de. A Noite - Uma cena própria de pesadelo onde um homem, vagando à noite, percebe a vida e o movimento desaparecerem lenta e totalmente das ruas de Paris, deixando-o sozinho com seu medo da morte. 
  • LEE, Vernon. Amour Dure A história de um estudioso que acaba por se apaixonar por uma mulher morta anos antes, e se vê compelido a atitudes loucas para agradar sua amada. 
  • BIERCE, Ambrose. Chickamauga - Durante a Guerra Civil Estadounidense, uma jovem criança se afasta de casa e adormece perdida na floresta, quando acorda, depara-se com soldados feridos voltando da batalha, sem entender a cena, a criança brinca e fantasia sobre as cenas que vê. 
  • LORRAIN, Jean. Os Buracos da máscara - Narra o horror de um jovem folião frente à desaparição de si mesmo. 
  • STEVENSON, Robert Louis. O Demônio da garrafa - Uma garrafa contendo um pequeno demônio que realiza desejos parece ser algo maravilhoso, que qualquer um desejaria ter, mas seu dono pode acabar descobrindo que a posse da garrafa é mais uma maldição do que uma benção
  • JAMES, Henry. Os Amigos dos amigos - Dois personagens, um homem e uma mulher, muito parecidos um com o outro, e estranhamente conectados por fatores inexplicáveis, nunca se encontram, apesar das inúmeras tentativas de seus amigos de promover o encontro entre eles.
  • KIPLING, Rudyard. Os Construtores de pontes - Fala sobre a construção de uma ponte no Ganges na Índia, enfatizando a luta pelo domínio da natureza, representada pelos deuses da cultura indiana, pela tecnologia inglesa. 
  • WELLS, Herbert G. Em terra de cego - Um guia alpinista sofre um acidente nas montanhas e se descobre em uma estranha terra isolada habitada apenas por cegos. Sua experiências com os cegos do local coloca a prova a expressão popular: "Em terra de cego, quem tem um olho é rei".

    Entre os 26 contos que compõem esse livro, considero alguns como tendo mais destaque, ou seja, são os melhores: Sortilégio de Outono, de Eichendorff; O Homem de areia, de Hoffman; A Morte amorosa, de Gautier; A Sombra, de Hans Christian Andersen; O Demônio da garrafa, de Robert Louis Stevenson; Em Terra de cego, de Herbert G. Wells; e É de confundir, de Isle-Adam. No geral, um livro muito bom, interessantes tanto para quem procura uma leitura inteligente e que faça pensar, como para quem busca por uma leitura leve e agradável.  

    O último conto, de Wells, encontra-se disponível em áudio para escutarem. Peço que não reparem na qualidade, pois fui eu mesma quem gravei como parte de um trabalho de faculdade. Eu não sou profissional ,nem de edição de áudio, nem de narração, portanto, desculpem pelos possíveis erros. Espero que gostem!


    Um comentário:

    1. para mim o Sortilégio de outono de Joseph von Eichendorff é épico... todo mundo devia de ler! tomem galera, e instruam-se! http://portugues.free-ebooks.net/ebook/Sortilegio-de-outono

      ResponderExcluir